26 de dezembro de 2012

Caril de atum (e os aromas de Moçambique na minha cozinha)

Olá amigos estudantes :)

 O caril é um condimento muito popular da cozinha indiana, mas não só...
 Conhecem-no? A mim, foi-me apresentado há muitos, muitos anos quando ainda era muito pequena.


 Tinha (e tenho!) uma tia moçambicana. Uma senhora muito bonita e muito vaidosa com uma doce pronúncia de português de África, que trouxe consigo da sua terra uma disposição alegre e um condimento especial amarelinho chamado caril. Duas raridades neste Velho Continente, que a tornavam desde logo uma personagem curiosa.



 Acontece que esta minha tia era uma cozinheira de mão cheia. Não que houvesse falta de cozinheiras nesta família e nem sequer de cozinheiros, mas os ingredientes nas mãos da tia Luísa tomavam aromas e texturas até então desconhecidos das nossas mesas.

 Um dos pitéus que saia das mãos da minha tia e que me era vetado em pequena - por se dizer que era muito picante e impróprio para crianças - era o caril.


 Ora eu, que era uma criança de pouco apetite e de difícil agrado à mesa, não sei se por me ser proibida aquela iguaria, se pelo encanto da cozinha tão alegre, ou pelos aromas de outras paragens, sempre senti um enorme apelo por aqueles pratos quentes de aroma forte e cor intensa.



 O caril que se faz em Moçambique é algo diferente do caril asiático. Desde já os seus aromas são muito mais simples e a confecção mais frugal, mas nem por isso fica a dever alguma coisa aos seus congéneres asiáticos.

 Já o vi cobrir os mais variados ingredientes. Em Moçambique, pela qualidade e abundância dos seu mariscos, faz-se com frequência com camarão ou caranguejos, mas também é muito popular o caril de frango e o caril de amendoim.


 Na minha casa, como gosto de inventar, tenho feito caril com quase tudo, desde legumes a peixe, passando por tofu, tempeh e frutas. A minha inspiração é sempre o caril moçambicano mas vai-me sempre saindo diferente e às vezes até me sai com cheiro a Goa... ;)

 Podia comê-lo todos os dias e dificilmente me fartava.


  Deixo-vos aqui esta receita porque é muito simples de executar e permite fazer um caril muito digno em casa.


 Precisam de:
  • 3 latas de atum 
  • 1 cebola
  • 3 dentes de alho
  • 200 mL de polpa de tomate
  • 200 mL de natas
  • 3 colheres de sopa de côco ralado
  • 3 colheres de sopa de pasta de caril ou pó de caril
  • piri-piri q.b.
  • sal q.b.
  • um punhado de passas e amêndoas ou 2 rodelas de ananás às falhinhas (facultativo)
  • um terço de pimento às tirinhas (facultativo)
  • coentros frescos q.b. (facultativo)
Preparação:
Prepara-se um refogado com a cebola e os alhos picadinhos, o azeite e o piri-piri.
Quando a cebola está douradinha acrescentam-se os frutos secos e as tiras de pimento, ou o ananás e deixa-se cozinhar uns minutos. Desta vez fiz com pimentos e frutos secos.
 De seguida, acrescenta-se a polpa de tomate e deixa-se a apurar.
Acrescenta-se o atum escorrido e deixa-se a cozinhar em lume brando.
Num recipiente à parte mistura-se o côco ralado, o caril e as natas.
Ao tacho juntam-se o creme de côco e caril e uma pitada de sal .
Deixa-se cozinhar em lume brando mais uns minutos e um pouco antes de apagar o lume acrescentam-se os coentros picadinhos.
Bom apetite.

Sem comentários:

Enviar um comentário