20 de junho de 2017

Mértola - Festival Islâmico

Hi Mary,

O que nos leva a este Festival bienal é a visita à vila e ao souk -  o mercado árabe.

Um mercado que se estende pelas ruas íngremes, estreitas e brancas de Mértola.

Os panos coloridos e claros que cobrem ruas inteiras ensombram e refrescam vendedores e visitantes e emprestam uma proximidade curiosa às pessoas.

Couros e peles, essências e cremes, metais e madeiras, panos e instrumentos, ervas e especiarias.

Sentimo-nos, em cada bancada, invariavelmente no norte de África. Não são apenas os vendedores e os produtos exóticos, é sobretudo o ambiente.

Vimos sempre. 
Vimos principalmente para comprar as ervas e as especiarias que só conseguimos encontrar aqui com esta imensa qualidade e variedade. Aprende-se sempre sabores e cheiros novos e desafiantes.

Até daqui a dois anos ;)
Mom




11 de junho de 2017

Uma visita ao Mercado do Livramento em Setúbal

Hi Mary e Sophia,

Em Setúbal, existe um belíssimo mercado que é apresentado ao visitante como sendo provavelmente um dos melhores do mundo - O Mercado do Livramento.

Não é possível ir lá sem aproveitar para comprar, por preços convidativos, um belo peixe, marisco, legumes, aromáticas, frutas, bolos de pastelaria gigantes, flores e, no nosso caso, até um raminho do Dia Da Espiga, porque o visitámos neste dia especial.

Bons passeios ;)

Mom
(em cima edifício da Câmara Municipal, em baixo Avenida Luisa Tody)

3 de junho de 2017

Batatas Violeta com Bacalhau


Hi Sophia e Mary,

A Vitelotte é roxa. 
Não é uma batata doce, não deixa cor (como a beterraba) e não precisa grande imaginação para possibilitar uma apresentação completamente nova para qualquer prato clássico.

Este bilhete serve apenas para deixar uma nota sobre a experiência interessante que foi a da batata violeta.

Interessantíssima na apresentação e no sabor. 

Melhor, no que aos nutrientes se refere pois, como sabemos, os alimentos desta cor têm propriedades antioxidantes.
A casca é rica em favonóides e vitamina C pelo que também a usámos na confeção.

Servímos as batatas apenas com bacalhau e foram um sucesso.



Ingredientes (para 4 pessoas)


  • 3 postas de bacalhau demolhado
  • 4 batatas violeta médias
  • 1 cebola branca grande
  • 1 pimento vermelho
  • 5 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher de sobremesa de sal grosso

Preparação

  1. Partir a cebola descascada em meias luas e o pimento descascado em tirinhas finas (5x0.5cm).
  2. Desmachar o bacalhau, previamente demolhado, em lascas removendo todas as peles e espinhas à mão.
  3. Colocar o bacalhau a confitar com a cebola e o pimento, no azeite, em lume brando durante aproximadamente 20 minutos.
  4. Lavar as batatas em água corrente e colocá-las a cozer numa panela em 1L de água fervente com o sal, durante aproximadamente 15 minutos (testar com um garfo, o estado de cozedura, pois batatas pequenas demoram menos tempo a cozer que as grandes).
  5. Escorrer a água das batatas, pelá-las e parti-las às rodelas ou fazer bolinhas com as batatas esmagadas.
  6. Empratar o bacalhau e molho sobre as batatas.

Bons pratos ;)
Mom








7 de maio de 2017

Omelete de favas ou favas com ovos mexidos de antigamente?



Olá Mary e Sophia,

Apesar de eu gostar bastante, aqui em casa as favas são um ingrediente pouco explorado.
Fico por isso muitas vezes à escuta de outras cozinhas, normalmente as mais tradicionais e as que recuperam sabores antigos. Não é que recentemente me caiu no colo esta combinação maravilhosa e tão improvável, na minha cabeça, até agora?

Trata-se de um petisco sazonal de favas frescas, mesmo como eu gosto ;)

Ingredientes (para 2 pessoas)
  • 6 favas descascadas
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 6 ovos
  • 3 dentes de alho cortado em lâminas
  • 1 raminho de coentros finamente picado (opcional)
  • Sal
Preparação
  1. Retirar a casca e a pele das favas, abrindo-as posteriormente ao meio. Pode usar-se favas menos novas e de pele mais rija.
  2. Numa frigideira anti aderente, a aquecer em lume brando, colocar o azeite, os alhos e as favas durante 3 a 4 minutos até estarem cozinhadas.
  3. Entretanto bater os ovos até ficarem bem espumosos e adicionar-lhe os coentros finamente picados e o sal.
  4. Subir a temperatura do fogão e verter os ovos sobre as favas cozinhadas, até estarem praticamente cozinhados e capazes de virar com a ajuda de uma tampa, se a opção for pela omelete, alternativamente mexer ocasionalmente os ovos à medida que forem ficando cozinhados por baixo.
Sabores antigos e muito bons ;)
bjis
Mom