18 de agosto de 2017

Pão integral do meu fermento e das minhas mãos

Não consigo precisar, mas há aí uns dois ou três anos, ofereceram-nos uma tigela de massa e uma receita fotocopiada de Pão do Vaticano.
 A receita era preparada durante sete dias, salvo erro. No final a massa era dividida em 4 porções e deveríamos oferecer 3 e ficar com 1 delas para cozer.

Ora eu fiquei com 2 e congelei uma delas. Algum tempo depois descongelei-a, adicionei-lhe alguma farinha e agua e deixei repousar.
Verifiquei que a massa estava pujante e tinha levedado.
Usei uma parte e guardei o resto no frigorífico.

Na semana seguinte voltei a replicar a coisa.
Adicionei talvez uns 200g de farinha e uma chávena de água engarrafada (sem cloro e por isso amiga das bactérias) àquela massa, deixei crescer e guardei metade no frigorífico.
Usei a outra metade para fermentar um pão.

 Foi aí que começou a minha aventura de fazer todos os sábados um pão para os pequenos almoços da semana seguinte.

Ingredientes :

  • 100g de massa velha
  • 0,3L de água engarrafada tépida
  • 1 colher de sobremesa de sal
  • 500g de farinha de trigo integral
  • 50g de sementes de sésamo e girassol (opcional)
Preparação :
  1. Fazer um montinho com a daria numa superfície lisa,
  2. Abrir uma cova no cimo e desfazer aí  o fermento até  ficar incorporado na farinha.
  3. Dissolver o sal na água tépida e adiciona-la pouco a pouco à  farinha amassando sempre.
  4. Quando a massa estiver homogenea e se soltar das mãos (demora aproximadamente 20 minutos) está pronta.
  5. Fazer uma bolinha e colocar numa tigela larga enfarinhada, coberta com um pano de cozinha num local morno durante 2 horas ou num local fresco durante 12 horas.
  6. Ligar o forno a 200ºC
6. Ligar o forno a 200ºC
7. Tender a massa com a forma que se pretenda dar ao pão.
8. Deixá-lo repousar durante os 15 minutos de aquecimento do forno.
9.Cozer durante 25 minutos. Desligar o forno e deixar a porta fechada durante 5 minutos mais.
10. Retirar do forno e desenformar (deixar arrefecer plenamente antes de embalar se for o caso ☺).
Tão bom que é fazer o nosso pão.

Bjs
Mom

2 de julho de 2017

Bhaji ou pastéis indianos de cebola e farinha de grão





Hi Mary & Sophia,

Andamos a explorar as potencialidades da farinha de grão.
Acontece que por cá não se conhece grande variedade de uso.
A aposta foi preparar uns pastéis que comemos em restaurantes indianos e que não são exactamente temperados sempre da mesma forma.
Estes foram feitos com a receita adaptada daqui
Ingredientes:

  • 250g de farinha de grão  (gram flour)
  • 1/2 colher de café de cominhos
  • 2 malaguetas verdes finamente picadas sem sementes
  • 1 raminho de coentros picados
  • 2 dentes de alho finamente picados
  • 2 colheres de chá de gengibre picado
  • 1 colher de café de cúrcuma (opcional)
  • 1 colher de sobremesa de pó royal
  • 1/2 chávena  (0,125L) de água morna
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 colher de sopa de sumo de limão
  • 2 cebolas finamente cortadas em meias luas
  • Óleo para fritar


Preparação:

  1. Juntar, numa taça, a farinha e todos os outros ingredientes, excepto a cebola. Desfazer a manteiga na água tépida e ir adicionando aos poucos aos outros ingredientes até obter uma textura cremosa (a tender para líquida) para obter um polme.
  2. juntar a cebola e misturar.
  3. Fritar colheradas deste preparado em óleo bem quente de ambos os lados.
  4. Escorrer bem o excesso de gordura sobre papel absorvente.


Muito gulosos estes  bhaji e muito apetecíveis para que gosta dos nossos peixinhos da horta ;)

beijocas
Mom


webgrafia: https://www.theguardian.com/lifeandstyle/wordofmouth/2013/nov/13/how-to-make-perfect-onion-bhajis

20 de junho de 2017

Mértola - Festival Islâmico

Hi Mary,

O que nos leva a este Festival bienal é a visita à vila e ao souk -  o mercado árabe.

Um mercado que se estende pelas ruas íngremes, estreitas e brancas de Mértola.

Os panos coloridos e claros que cobrem ruas inteiras ensombram e refrescam vendedores e visitantes e emprestam uma proximidade curiosa às pessoas.

Couros e peles, essências e cremes, metais e madeiras, panos e instrumentos, ervas e especiarias.

Sentimo-nos, em cada bancada, invariavelmente no norte de África. Não são apenas os vendedores e os produtos exóticos, é sobretudo o ambiente.

Vimos sempre. 
Vimos principalmente para comprar as ervas e as especiarias que só conseguimos encontrar aqui com esta imensa qualidade e variedade. Aprende-se sempre sabores e cheiros novos e desafiantes.

Até daqui a dois anos ;)
Mom




11 de junho de 2017

Uma visita ao Mercado do Livramento em Setúbal

Hi Mary e Sophia,

Em Setúbal, existe um belíssimo mercado que é apresentado ao visitante como sendo provavelmente um dos melhores do mundo - O Mercado do Livramento.

Não é possível ir lá sem aproveitar para comprar, por preços convidativos, um belo peixe, marisco, legumes, aromáticas, frutas, bolos de pastelaria gigantes, flores e, no nosso caso, até um raminho do Dia Da Espiga, porque o visitámos neste dia especial.

Bons passeios ;)

Mom
(em cima edifício da Câmara Municipal, em baixo Avenida Luisa Tody)